terça-feira, 15 de abril de 2008


Por mais tempo que passe, por mais pessoas que possam entrar na minha vida, mesmo que as marés e os ventos mudem a minha rota, nunca, mas nunca irei esquecer a tua doce amizade. As tuas palavras foram cravadas, serão recordadas como palavras de esperança e de incentivo. Ensinaste-me a olhar em frente, não ter medo do que possa aparecer, apenas me preocupar com o essencial, aquilo que realmente me faz falta.
És como um mentor para mim, és adorada como tal e respeitada sem igual.
Posso até um dia vir esquecer os teus traços, a tua beleza exterior, mas a tua beleza interior jamais será esquecida, por quê?
Porque foi essa que me fez ver que a vida é feita de poucas coisas, e por mais pequenas que possam ser, todas têm a sua importância.

4 comentários:

Engel disse...

Almost everyday you fall
Upon my waking eyes,
Inviting and inciting me
To rise.
And through the window in the wall
Come streaming in on sunlight wings
A million bright ambassadors of morning.

And no one sings me lullabyes
And no one makes me close my eyes
So I throw the windows wide
And call to you across the sky....

Anónimo disse...

Nunca irei esquecer a tua doce amizade.
Lidl :)

Jaime disse...

A prova de que a idade nada tem que ver com a sabedoria... Parabéns e beijos encantados pelos textos...

Catarina F. disse...

Este teu texto lembra-me um filme, The Hours. Há uma parte em que uma das personagens diz que o momento mais feliz da vida dele foi qdo viu a amada numa manhã completamente ensonada, mas linda! E ele tenta recuperar esse momento, vive na esperança de ter por perto a felicidade. Não é bem a mesma coisa que dizes, mas lembrou-me deste episódio.
=) ****