terça-feira, 18 de março de 2008

Se houvesse palavras para descrever o quão grande é o meu sentimento, escreveria todas elas, mesmo que tivesse de o fazer noite e dia sem cessar.
Por mais que os outros falem, por mais que gritem, nada será suficiente para me afastar da única coisa que me faz acreditar que a minha presença aqui faz algum sentido.
Este sentimento por vezes magoa mais do que anima, por outras chorar mais do que sorrir, mas há sempre o inverso da moeda, não é verdade?
Não podemos simplesmente “viver felizes para sempre”, parece tentador, é verdade. Mas se nunca viveu em nós a tristeza, como poderemos saber que a felicidade já existiu?
Precisamos saber o significado de cada um para depois sim, “classificarmos” aquilo que sentimos a uma dado momento.

1 comentário:

Mónica disse...

Peço desculpa pla invasão, mas era só para dizer que gostei imenso do teu blogue :)

Fica bem*