sexta-feira, 23 de novembro de 2007

O silêncio.


A porta está fechada. Não consigo ouvir nada, tudo o que era ruído ficou lá fora e nada consigo ouvir. O meu mundo está, agora, isolado. Só eu e as minhas ideias. Ideias que vão fluindo pela minha cabeça de forma desorganizada, vou transcrevendo-as para o papel em forma de "rabiscos". Quem os observar sem perceber, o que se passa na minha mente, irá ver apenas gatafunhos traçados numa folha de papel, quando é um desafogo meu, onde não sou a única personagem.
Silêncio, o agradável silêncio que se faz ouvir no meu quarto, no meu mundo, traz-me tranquilidade e uma paz, falsa e só existente dentro das quatro paredes do meu minúsculo mundo. Fora dele, reina a confusão e o “barulho”. Pelo menos, dentro dessas quatro paredes, tenho a paz que preciso, onde me posso esconder do mundo lá fora, onde a paz que vos falo, existe! Mas apenas em sonhos e promessas.

3 comentários:

Anónimo disse...

mas olha, o que é que tas a fazer em ciencias?
comento neste, mas li-os a todos (a tua irma obrigo me... TOU A GOZAR)... volto a questionar vossa excelencia escritora, O QUE ÉQ TAS A FAZER EM CIENCIAS??
ehhe, beijinho da Marta

SA. disse...

"que o silêncio também é música"

Phoenix disse...

Antes dos braços de outrém, o maior refúgio de cada um, é o seu próprio mundo.

Abraço