segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Calor familiar.


O teu calor é-me familiar.
O teu corpo junto ao meu, não é estranho, é uma extensão de mim.
A tua presença é mais do que estares aqui, é completares-me do vazio comum, preencheres com o teu riso, o silêncio inoportuno do meu pesadelo desperto.
Posso ter tudo, mas sem ti, haverá sempre algo que me falte.


Também gosto muito de ti.

Fotografia: olhares.aeiou.pt/nnelio

3 comentários:

mia disse...

venero estes textos. não pares de escrever por favor :')

Anthony disse...

Um pequeno texto com muito significado

Contínua bábá :D Beijos

Andreia disse...

Que querida.