terça-feira, 9 de junho de 2009

O som dos teus passos assustam-me e as portas atrás de ti não param de bater. Os teus gesto são graciosos e a tua voz clara, tão fácil de entender. Porém tenho medo, tenho medo do que dizes e não fazes. As acções não fazem parte da tua rotina, projecto tão bem processado, horário sem horas mas com tantos planos.
Silêncio, agora nem o telemóvel toca para te fazer ouvir, perdi-te e não tenho vontade de te encontrar.

3 comentários:

Joana Éme. disse...

Reparas nos seus passos e gestos, não podes não querer encontrar.

Purple disse...

:D wow , adorei o texto ;D

Mesmo bonito ,

Beijinho

ann disse...

Questionário que te está proposto no meu blog. Responde se quiseres. Estás seleccionado/a nos meus dez blogs (:
Beijinho*